Como conciliar o home office com a saúde da pele?


Com a chegada da pandemia, o nosso cotidiano passou por uma verdadeira transformação, sendo o trabalho um dos principais alvos das significativas mudanças causadas pelo isolamento social.



Grande parte da população está, há mais de um ano, trabalhando em casa. O Brasil, inclusive, ocupa atualmente o terceiro lugar no ranking de países em que o sistema home office mais cresce.


Por um lado, esse fator é extremamente benéfico, já que oferece ao profissional mais flexibilidade no seu dia a dia, tanto que muitos se redescobriram durante o home office, seguindo carreira em uma outra área ou abrindo um novo negócio. Por outro lado, entretanto, há uma crescente preocupação em relação a esse novo jeito de trabalhar.


Efeitos negativos

Obviamente, devido às inúmeras restrições de proteção e de segurança, a maioria de nós está passando mais tempo dentro do conforto do nosso lar. E no caso daqueles que atuam em modelo remoto, a constante exposição a aparelhos eletrônicos ― como notebook, tablet, celular e televisão ― está afetando a saúde do organismo, inclusive da pele.


De acordo com a literatura científica, esses aparelhos liberam um tipo de radiação de baixa frequência, conhecida como luz azul, que pode ser absorvida pelos tecidos do nosso corpo. Como a pele é o nosso órgão mais desprotegido, ela acaba sofrendo as consequências desse fator, contribuindo para o aceleramento do envelhecimento cutâneo, a sensibilidade e o aparecimento de manchas.


Como prevenir esses danos?

Nem tudo está perdido! Há maneiras efetivas de cuidar da saúde da pele e mantê-la hidratada, principalmente neste momento. Afinal, não é porque estamos em casa que podemos deixar de lado a atenção com o nosso corpo, não é mesmo?


Skincare

Manter uma rotina de cuidados com a pele é um dos primeiros passos para inibir ativos externos que podem prejudicá-la. O ideal é limpar o rosto ao menos duas vezes por dia: uma vez de manhã e outra de noite. Contudo, é extremamente importante utilizar produtos livres de substâncias nocivas. A recomendação é consultar um profissional de saúde que possa orientá-lo sobre produtos específicos para a sua pele.


Alimentação

A nossa alimentação está intrinsecamente ligada à saúde do nosso corpo e, consequentemente, da nossa pele. Sendo assim, o ideal é sempre optar por uma dieta equilibrada, preferindo comidas in natura e minimamente processadas por serem mais ricas em nutrientes e compostos bioativos com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.


Consumir alimentos ricos em vitaminas A, complexo B, E e C, zinco, cobre, selênio, manganês, magnésio e silício orgânico, por exemplo, pode ajudar no estímulo à produção natural de colágeno e, assim, contribuir para a elasticidade e a resistência da pele.


Logo, incluir alimentos fonte de carotenoides, como betacaroteno e licopeno, na alimentação é uma estratégia eficiente na fotoproteção oral e para evitar hipercromias, as manchinhas na pele ― seguindo, é claro, a orientação de um profissional de saúde.


Outra dica é não se esquecer de beber água durante o dia, uma vez que ela é de extrema importância para a hidratação do organismo.


Para ficar por dentro de mais dicas e outros assuntos relacionados à autoestima e à saúde, acompanhe minhas redes sociais: Instagram; Fan Page e Linkedin. Até a próxima!